9 de julho de 2009

o meu nome é esperança....

Sou um riacho tentando desaguar no oceano...



Esperança


Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Mário Quintana

3 comentários:

Fernanda Fernandes Fontes disse...

Olá Paula!

Quintana é maravilhoso...tem o dom da completude pela síntese! Adoro!

Bjs

AFRICA EM POESIA disse...

Vim desejar bom fim de semana e esperar que tenha gostado do meu selinho++++++++++

Sol bonito


Sol
Muito sol…
Calor
Muito calor…
E tranquilamente
Com passos curtos
Muito curtos…
Avanço devagarinho
E entro na água
Água do mar…

Mar quente e belo
Mar que atira…

Com fúria
A água
Para o meu corpo…

E dentro da água
Sinto o bater das ondas
E tranquilamente…

Deixo-me acarinhar
E deixo-me embalar
Pela suavidade
Do mar…

Lili laranjo

Léo Metallica disse...

Oi Paula.

Peço que confira o meu novo blog, pois roubaram a conta do meu antigo.

http://brainstorm-ride.blogspot.com/

Obrigado.