16 de março de 2011

É proibido.

Sabe aquelas mensagens lindas que recebemos de algum amigo via e-mail e cujo autor é alguém super conhecido no meio literário? Pois é, nem sempre são do "fulano" citado. semana passada recebi mais um deste, e como sempre, dou uma busca na rede para constatar a autoria ou verdade da coisa. Como a mensagem constava em todos os cantos, lá fui eu enviando para alguns amigos. Mas fui alertada por um amigo para a autoria. E o que fazer para esclarecer? A biblioteca da cidade provavelmente não me ajudaria, eu pouco conheço a obra do autor...Fiquei numa encruzilhada! Mas não desisti! Tentei, tentei até encontrar um site confiável que pudesse tirar a dúvida. Entrei no site da Universidade do Chile que mantém uma página sobre Pablo Neruda e neste, encontrei o site da Fundação Pabro Neruda. Enviei o questionamento. A resposta veio logo e a dúvida deu um adeuzinhoooo. Mas a beleza do texto permanece...

Mesagem recebida:

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira,
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.
(Pablo Neruda)


Além deste texto não ser do Neruda, o texto original, segundo o prórpio Alfredo, sofreu modificaçãoes. Agora o texto original:


“QUEDA PROHIBIDO”, por Alfredo Cuervo Barrero



¿Qué es lo verdaderamente importante?,

busco en mi interior la respuesta,

y me es tan difícil de encontrar.

Falsas ideas invaden mi mente,

acostumbrada a enmascarar lo que no entiende,

aturdida en un mundo de irreales ilusiones,

donde la vanidad, el miedo, la riqueza,

la violencia, el odio, la indiferencia,

se convierten en adorados héroes,

¡no me extraña que exista tanta confusión,

tanta lejanía de todo, tanta desilusión!.

Me preguntas cómo se puede ser feliz,

cómo entre tanta mentira puede uno convivir,

cada cual es quien se tiene que responder,

aunque para mí, aquí, ahora y para siempre:

Queda prohibido llorar sin aprender,

levantarme un día sin saber qué hacer,

tener miedo a mis recuerdos,

sentirme sólo alguna vez.

Queda prohibido no sonreír a los problemas,

no luchar por lo que quiero,

abandonarlo todo por tener miedo,

no convertir en realidad mis sueños.

Queda prohibido no demostrarte mi amor,

hacer que pagues mis dudas y mi mal humor,

inventarme cosas que nunca ocurrieron,

recordarte sólo cuando no te tengo.

Queda prohibido dejar a mis amigos,

no intentar comprender lo que vivimos,

llamarles sólo cuando los necesito,

no ver que también nosotros somos distintos.

Queda prohibido no ser yo ante la gente,

fingir ante las personas que no me importan,

hacerme el gracioso con tal de que me recuerden,

olvidar a todos aquellos que me quieren.

Queda prohibido no hacer las cosas por mí mismo,

no creer en mi dios y hallar mi destino,

tener miedo a la vida y a sus castigos,

no vivir cada día como si fuera un último suspiro.

Queda prohibido echarte de menos sin alegrarme,

odiar los momentos que me hicieron quererte,

todo porque nuestros caminos han dejado de abrazarse,

olvidar nuestro pasado y pagarlo con nuestro presente.

Queda prohibido no intentar comprender a las personas,

pensar que sus vidas valen más que la mía,

no saber que cada uno tiene su camino y su dicha,

sentir que con su falta el mundo se termina.

Queda prohibido no crear mi historia,

dejar de dar las gracias a mi familia por mi vida,

no tener un momento para la gente que me necesita,

no comprender que lo que la vida nos da, también nos lo quita.

5 comentários:

Lindy Cardoso disse...

"No intiendo espanholllllll"...rs
Lindo!!!!

Jorge Sader Filho disse...

Paula, quase todos os textos que circulam nos pps, quando poesias ou crônicas, são falsos.
Jabor é a maior vítima, mas faz questão de dizer que nunca escreveu nada para a internet. Mesmo o twitter dele é falso!
Mas vc é verdadeira. E bonita!
Obrigado por ser mais uma amiga.

Carinho,
Jorge

ilana Odorico ზ disse...

adorei seu blog, seguindo então! bjs ;

Tais Luso disse...

Oi, Paula, é verdade isso tudo, amiga! Já me enfiei em saia justa por ter enviado um poema que não lembro de quem. E veio outro email... Igualzinho ao que você recebeu.

Fernando Verissimo e muitos outros já disseram o mesmo, mas o que vão fazer?

Por isso que não tiro poemas da Internet, artistas plásticos... As obras busco na internet, mas com o livro aberto na frente; e ainda olho os detalhes para ver se é a mesma!

Se a gente se propõe a fazer um trabalho sério, onde os outros podem pesquisar, deve partir da gente uma postagem séria.Só posto de livros.

Sobre os pps não envio mais de poemas e crônicas de fulano nenhum.rsrs

Ótimo este teu post.
Beijos, amiga.
Tais Luso

Lena disse...

Lindíssimo seu blog, amei!Bjs.