15 de agosto de 2010

O que te silencia?


O silêncio (1998), do iraniano Mohsen Makhmalbaf me encontrou por acaso. Mas ganhou espaço, alma e emoção. No filme um garoto cego, Khorshid nos toma pela mão e nos guia por um mundo onde a visão é dispensável, mas a audição é fundamental. Ao segui este garoto nos deparamos com a quebra de antigos conceitos: O que é ver? O que é ouvir?

Khorshid enxerga o mundo através dos sons, mas muitas vezes (como nós) se ver forçado a silenciar-se diante do que a vida propõe. Uma das cenas que mais chamou minha atenção neste filme, é o momento em que uma amiga lhe sugere que durante o trajeto de casa para o trabalho (ele trabalha afinando instrumentos musicais) feche os ouvidos para que uma bela voz ou música não o distraia e o faça perder o horário de trabalho. Khorshid, além de não poder ver, é impedido de poder ouvir. Tem de viver o silêncio.

Diariamente os sons adentram a vida deste garoto. Inicialmente com o toc-toc na porta, que se trata das quatro primeiras notas da 5ª sinfonia de Beethoven, notas estas presentes em várias ocasiões do filme, inclusive na cena final em que o garoto num ato de libertação do silêncio que o aprisiona, rege ... como um maestro... Ao mesmo tempo, a emoção rege quem está do outro lado do vídeo e convida a reflexão.
o filme diz muito... o autor traz mais que arte...confiram!


Neste link trecho do filme: http://www.videolife.tk/video/p2Xy4slXRAI/O-Silêncio-Sokout.html

http://www.youtube.com/watch?v=p2Xy4slXRAI&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=orMT0rR5yVo&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=9RlYLcYWShg&feature=related


CONFISSÃO

Que esta minha paz e este meu amado silêncio

Não iludam a ninguém

Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta

Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios

Acho-me relativamente feliz

Porque nada de exterior me acontece...

Mas,

Em mim, na minha alma,

Pressinto que vou ter um terremoto!

- Mário Quintana -

9 comentários:

CESAR CRUZ disse...

Oi, Paula! Poxa, vou atrás deste filme, que linda história, hein? Obrigado pela dica.

Aliás, vc assistiu "A Partida"? Trata-se de uma produção japonesa absolutamente linda. Assista, por favor.

bjão enorme
Cesar

em tempo: obrigado pelo crédito à minha participação na Bienal de SP! Valeu, amiga!

Pedro Luso de Carvalho disse...

Paula,

Nunca ouvi falar em Mohsen Makhmalbaf, mas como gosto de filmes que saem do formato feito para sucesso de bilheteria, em detrimento da arte, vou ver se encontro esse filme.

Abraços,
Pedro.

Leca disse...

Ainda não vi esse filme...
e ele promete...
momentos...de grande reflexão...

Beijos
Leca

M. Sueli Gallacci disse...

Oi Paulinha, teu blog é uma delícia e vc é uma pessoa linda...
Obrigada pela visita, amiga, estarei sempre por aqui.
Adorei sua dica, tbm vou procurar por este filme.

Um beijo enorme no teu coração!

Gerana Damulakis disse...

Ótima postagem, Paula.

Paula: pesponteando disse...

Cesar, vou ver se consigo encontrar. obrigada por retribuir a dica.Depois quero os detalhes da Bienal...

Pedro, também não o conhecia. Mas foi muito bom conhecê-lo através desta obra. Além da arte temos uma reflexão do autor sobre seu país. Aquestão do silêncio...

Leca, promente e cumpre...vale a pena assistir.

Sueli, obrigada pelas palavras. Veja mesmo este filme, é lindo.

Gerana, obrigada. Fico muito feliz em saber que andas neste meu cantinho singelo.

bjs a todos

Nilson Vellazquez disse...

Valeu pela dica!

Leca disse...

Flutuei até aqui para...
agradecer...
a sua presença...
em meu Nat King Cole...
Beijos...musicais...
Leca

Tais Luso de Carvalho disse...

Oi, Paula, ótima dica. E lhe deixo uma, que vi recentemente e que vale a pena, belíssimo: 'O Oitavo Dia' com Pascal Duquenne e Daniel Auteuil. Estes dois atores dividiram o prêmio de Melhor ator do Festival de Cannes de 1996. Emociona muito. Não deixe de ver.

grande beijo
tais luso