19 de outubro de 2010

20 de outubro dia do poeta

PEQUENO ESCLARECIMENTO
Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos, nem sujeitos a ataques súbitos de levitação. O que eles mais gostam é estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios. Um silêncio... Este impoluível silêncio em que escrevo e em que tu me lês.

Mario Quintana




AUTOPSICOGRAFIA



O poeta é um fingidor.


Finge tão completamente


Que chega a fingir que é dor


A dor que deveras sente.



E os que lêem o que escreve,


Na dor lida sentem bem,


Não as duas que ele teve,


Mas só a que eles não têm.



E assim nas calhas de roda


Gira, a entreter a razão,


Esse comboio de corda


Que se chama coração.



Fernando Pessoa





Aos amigos poetas e poetisas um grande abraço...Que sejamos sempre contemplados com o sublime e o belo de vossas palavras.






3 comentários:

Tere disse...

o poeta é um sonhador,e esse poema é lindo como o poeta, amei bjus tere.

Alma Póetica disse...

F. Pessoa e seus Heterônimos.. quanta contribuição ele trouxe para a Literatura Portuguesa!

(No começo do ano, vc me deixou um comentário no blog e perguntou se eu ainda estudava Letras, estudo sim.. estou me formando! ^^ . Me add no msn:keisy_santos@hotmail.com)

CESAR CRUZ disse...

Paula,

Ler Mario Quintana, F. Pessoa, João Cabral de Melo Neto, Manoel Bandeirae poucos outros, nos faz ver que a arte da poesia é, realmente, para poucos, muito poucos. E que o profícuo surgimento de novos poetas (nos blogs é o que mais tem. Muito mais que contistas e cronistas, por exemplo)é inversamente proporcional à sua competência e ineditismo. "Mais do mesmo", é o que tenho visto por aí...

bjão
Cesar