27 de dezembro de 2008

Agulha, linha e retalhos



É possível entender a literatura como uma colcha de retalhos, em que o autor usa de sua criatividade para costurar os recortes de tecidos uns aos outros, criando novos diagramas, com formatos variados, escolhendo cores e estampas adequadas para formar uma nova tessitura, uma peça única e bela. Nessa costura, os retalhos que compõem as histórias são colhidos da memória, bem como do imaginário(...), com cores e estampas que oscilam entre a ficção e a realidade.
Comecei costurar minha colcha de retalhos, embora não contenha histórias nascidas de mim, compõe-se do meu olhar sobre aquilo que outros escrevem. Aprendi que com agulha, linha e retalhos é possível criar algo novo e fazer novo o que antes se fez velho. Assim, vou pesponteando contos, poesias, romances e crônicas a teorias literárias, criando novos textos. Textos simples, ingênuos, incoerentes... mas vou criando!

4 comentários:

Anônimo disse...

paulinha!! que beleza hem o blog! tenho certeza que será, ou melhor, está sendo um bem social. qdo crescer quero ser igual a vc!bjs geisa

wanda disse...

Oh miga, como é bom ter esse espaço agradável pra visitar. Quando vc diz q na falta do q fazer vc criou isso daqui... Eu discordo, pq vc esta provando para q serve a modernidade, materializada na tela de um PC. Bjs vc é muito especial para todos nós e para a nossa colcha literaria!!!

Lindy disse...

Ler isso me deixou confiante e corajosa p continuar com o meu blog! "Textos simples, ingênuos, incoerentes... mas vou criando!" Tah...textos espetaculares, interessantíssimos que demonstram amplo conhecimento.
Muito bons!!!
Bjs...

ZezinhoMota disse...

Gostei de ler, mas voltarei para te conhecer melhor...

Feliz fim de semana.

Muitos sorrisos para ti hoje e sempre.

Porto-Portugal

ZezinhoMota

A Poesia do Zezinho http://zezinhomota.blogspot.com

A Poesia do Zezinho II http://zezinhomota1.blogspot.com